Horário das Missas
Horário das Confissões
Exposição do Santíssimo Sacramento
Boletim
Informação para todos
Voz do Papa
Mensagem para a Quaresma de 2017
Voz do Bispo
Mensagem Quaresmal
 
Paróquia de Nossa Senhora da Assunção e Ressurreição de Cristo
Rua dos Navegantes, nº49
2750-445 - Cascais

Tel: 21 484 74 80
Fax: 21 484 74 82
Este endereço de email está protegido de spam bots, você precisa de ter o Javascript activado para poder visualizar
 
Este endereço de email está protegido de spam bots, você precisa de ter o Javascript activado para poder visualizar
 

Este endereço de email está protegido de spam bots, você precisa de ter o Javascript activado para poder visualizar

Novidades do site
Leia a mensagem do Papa Francisco para a Quaresma deste ano.
 
 
Imprimir

Quaresma 2013


«Nós conhecemos o amor que Deus nos tem, pois cremos nele» (1 Jo 4, 16)
 
A celebração da Quaresma, no contexto do Ano da fé, proporciona-nos uma preciosa ocasião para meditar sobre a relação entre fé e caridade: entre o crer em Deus, no Deus de Jesus Cristo, e o amor, que é fruto da acção do Espírito Santo e nos guia por um caminho de dedicação a Deus e aos outros.
 
in Mensagem de Sua Santidade o Papa Bento XVI para a Quaresma de 2013
 

Mensagem do Papa para a Quaresma de 2013

 

Mensagem do Patriarca de Lisboa para a Quaresma de 2013

 

Catequeses Quaresmais do Sr. Cardeal Patriarca de Lisboa D. José da Cruz Policarpo

A Visão da Fé no Magistério Conciliar

Domingos da Quaresma, 18h00, Sé Patriarcal
Veja ou leia aqui em baixo na Secção "Na Igreja"
 
02 Mar - A Fé da Igreja.
 

Na Paróquia

Retiro da Quaresma em etapas

Todas as Quartas-feiras às 21h30
 

Via Sacra

Todas as Sextas-feiras da Quaresma 45 minutos antes das missas da manhã e da tarde.


Jornadas Penitenciais

Todas as Quintas-feiras de Março durante todo o dia
 

Triduo Pascal

Horário das Celebrações

Na Igreja

Tríduo Pascal

 

24 de Março Domingo de Ramos

«Bendito o Rei que vem em nome do Senhor. Paz no Céu e glória nas alturas!»
 
Chegamos à Semana Santa, a maior entre todas as semanas do nosso tempo litúrgico. O pórtico deste tempo é o Domingo de Ramos. Por um lado, recordamos a entrada triunfante de Jesus em Jerusalém e ao mesmo tempo é proclamada, desde já a narração completa da Paixão e Morte de Jesus.
Foi para este momento que Cristo veio ao mundo. Finalmente permite que a multidão, mesmo sem consciência, o aclame Rei, Aquele que vem em nome do Senhor. A prisão e a condenação de Jesus não é uma derrota nem razão de desilusão antes sim o pleno cumprimento da realeza de Jesus, o perfeito realizar da vontade do Pai.
Para os que creem em Jesus, a sua morte é semente da verdadeira Vida, o seu sofrimento a manifestação da medida sem medida do Amor de Deus. Na Cruz, Jesus abre os braços acolhendo e salvando todos os homens de todos os tempos. Diante do Mistério do Crucificado, não há lugar na vida de cada homem que não possa ser santificado e redentor.
Preparemo-nos para caminhar com Jesus percorrendo com Ele o caminho pascal, passando da morte do pecado, do egoísmo e do desânimo à vida da graça, do amor e da esperança.
Angelus no Domingo de Ramos Sua Santidade Francisco I
Catequese do Sr. Cardeal-Patriarca para o V Domingo da Quaresma "A Fé é celebração da morte e ressureição de Cristo"
 

17 de Março V Domingo da Quaresma

«Convertei-vos a Mim de todo o coração,
porque sou benigno e misericordioso»
 
Jesus, perante uma mulher que lhe é apresentada como “pecadora”, revela o olhar de Deus sobre nós: Ele não está para nos atirar pedras quando erramos e pecamos, mas acolhe-nos, perdoa-nos e desafia-nos a não tornar a pecar… Reconhecer o pecado e pedirmos perdão a Deus e aos outros é muito importante para podermos crescer como cristãos e vivermos em paz uns com os outros, em Igreja. A Igreja é uma comunidade de irmãos que caminha com este desafio: acolher o amor de Deus e ser testemunha desse mesmo amor no mundo. E é também em Igreja que podemos receber o perdão de Deus pelo sacramento da Reconciliação
Angelus no V Domingo da Quaresma por Sua Santidade Francisco I
Catequese do Sr. Cardeal-Patriarca para o V Domingo da Quaresma "A Fé é luz que nos guia nos caminhos da vida e da história"
 
 

10 de Março IV Domingo da Quaresma

«Vou partir, vou ter com meu pai e dizer-lhe: Pai, pequei contra o Céu e contra ti.» Lc 15, 18
A nossa viagem com destino à Páscoa exige de nós uma
dose de coragem para pararmos e nos interrogarmos sobre a nossa vivência como cristãos. Vivemos num ambiente onde podem surgir todas as razões e justificações para nos desculparmos de não pararmos. Mas o êxito desta viagem depende da nossa capacidade de pararmos como o filho pródigo, “caindo em nós”, descobrindo as nossas fraquezas numa atitude de humildade e sinceridade. O filho pródigo não se limitou a tomar consciência da sua desgraça mas pôs-se a caminho para ir ter com o Pai, Um Pai que respeita as decisões mesmo absurdas e a liberdade dos filhos, um Pai cujo amor não muda, permanece inalterado, apesar da rebeldia do filho. Será que a nossas viagem enquadra-se neste reencontro com o Pai? Para tal sigamos o exemplo do filho pródigo e celebremos com alegria a Páscoa como um reencontro dos filhos que andavam perdidos, mortos e que foram reencontrados, voltando assim à vida. Boa viagem e boa caminhada ao encontro do Pai.
Catequese do Sr. Cardeal-Patriarca para o IV Domingo da Quaresma "A Apostolicidade da Fé"
 

3 de Março III Domingo da Quaresma

«Se não vos arrependerdes, morrereis todos do mesmo modo.» Lc 13, 3
A leitura do Evangelho deste Domingo tem duas partes distintas que Jesus se encarrega de as interligar. A notícia assustadora de um massacre ordenado por Pilatos e uma parábola dita por Cristo usando a imagem da figueira seca. Pela resposta que Jesus dá aos seus discípulos diante do anúncio de mais uma carnificina do governador romano da Judeia, percebe-se que a leitura mais comum, mesmo tendo em conta a revolta e a incompreensão generalizada, seria de uma certa justiça. Os males só ocorreriam como uma consequência do pecado. Jesus afasta-se dessa visão moralista de justiça ao mesmo tempo que a usa para exortar à consciência pessoal do pecado e o apelo à mudança de vida.
Na parábola que segue este diálogo Jesus confere o peso que o sincero arrependimento tem na balança da justiça de Deus. Podemos não dar fruto, podemos parecer vãos mas o nosso Intercessor roga por nós e tudo fará para que a nossa vida seja fecunda, livre e feliz.
Nesta quaresma peçamos ao Senhor a graça de reconhecermos humildemente e sem medos nem vaidades o nosso vil pecado e a coragem de caminharmos para Ele verdadeiramente arrependidos. Deste modo, com certeza redescobriremos a grandeza da dignidade que o Amor divino nos concede.
Catequese do Sr. Cardeal-Patriarca para o III Domingo da Quaresma "A Fé da Igreja"
 

24 de Fevereiro II Domingo da Quaresma

«No meio da nuvem luminosa, ouviu-se a voz do Pai:
«Este é o meu Filho muito amado: escutai-O» Lc 9, 35
No segundo domingo da Quaresma a Liturgia da Igreja propõe-nos como texto central a narração da Transfiguração do Senhor no Monte Tabor. Durante a sua caminhada na terra, antes da sua Paixão e Morte na Cruz, Cristo quer revelar-Se aos seus discípulos mais próximos na verdade da sua glória. Os discípulos ainda não entendem tudo mas não se esquecerão quando tiverem de passar as tribulações próprias de quem quer seguir Jesus sempre e até ao fim.
O tempo da Quaresma encontra o seu sentido na celebração da Páscoa; o tempo da nossa vida descobre a sua essência na eternidade oferecida por Deus. Não nos concentremos apenas nos nossos esforços ou sacrifícios, que seja antes o desejo sincero de Deus que nos faz vencer-nos a nós próprios e a tudo o que nos faz mal e nos afasta de Deus e da sua Palavra.
Angelus no II Domingo da Quaresma por Sua Santidade Bento XVI
Catequese do Sr. Cardeal-Patriarca para o II Domingo da Quaresma "A Fé é um dom de Deus"
 

17 de Fevereiro I Domingo da Quaresma

«Durante quarenta dias,
esteve no deserto, conduzido pelo Espírito»
Estamos no início da Quaresma o Evangelho deste Domingo apresenta- nos sempre o episódio das tentações de Jesus no deserto que precedem a vida pública de Jesus, a consumação da missão redentora de Jesus. O itinerário de cada cristão é continuamente marcado pela presença que atrai e purifica de Cristo.
Assim, não será desproporcional estarmos preparados, no princípio da nossa caminhada quaresmal, para as mesmas tentações. Ao desejarmos aproximar-nos de Deus, o nosso inimigo fará sempre das suas. As coisas mais pequenas parecer-nos-ão insignificantes ou enormes para nos desmotivar e paralisar.
Façamos como Nosso Senhor que cheio do Espírito não se deixou iludir, revistamo-nos da armadura da fé, alimentados pela Palavra de Deus, pondo-A em prática na medida suprema da caridade e chegaremos com Ele ao triunfo pascal.
Angelus no I Domingo da Quaresma por Sua Santidade Bento XVI
Catequese do Sr. Cardeal-Patriarca para o I Domingo da Quaresma "A Fé do Concílio"
 

13 de Fevereiro Quarta-feira de Cinzas

«Pecámos Senhor, tende compaixão de nós»
Marcados pelo austero símbolo das Cinzas, entramos no Tempo da Quaresma, iniciando um itinerário espiritual que nos prepara para celebrar dignamente os mistérios pascais. As cinzas benzidas, impostas sobre a nossa cabeça, são um sinal que nos recorda a nossa condição de criaturas, que nos convida à penitência e a intensificar o compromisso de conversão para seguir cada vez mais o Senhor.
 

 

 

Cantinho de Maria
 
 

Avisos

29 de Junho
Adoração do Santíssimo. Igreja da Ressureição, das 15.00h às 18.00h.
 
7 de Julho
Devoção das primeiras Sextas-feiras ao Sagrado Coração de Jesus. Exposição do Santíssimo a partir das 18.00h com benção solene antes da missa das 19.15h.
 
20 de Julho
Noite de Oração das Equipas de Jovens de Nossa Senhora, com exposição do SS. Igreja Paroquial, às 21.30h.
 
4 de Agosto
Devoção das primeiras Sextas-feiras ao Sagrado Coração de Jesus. Exposição do Santíssimo a partir das 18.00h com benção solene antes da missa das 19.15h.
 

Mais Avisos...


 
actualizado a 12/05/2017
 
actualizado a 23/02/2017