Horário das Missas
Horário das Confissões
Exposição do Santíssimo Sacramento
Boletim
Informação para todos
Voz do Papa
Mensagem para a Quaresma de 2017
Voz do Bispo
Mensagem Quaresmal
 
Paróquia de Nossa Senhora da Assunção e Ressurreição de Cristo
Rua dos Navegantes, nº49
2750-445 - Cascais

Tel: 21 484 74 80
Fax: 21 484 74 82
Este endereço de email está protegido de spam bots, você precisa de ter o Javascript activado para poder visualizar
 
Este endereço de email está protegido de spam bots, você precisa de ter o Javascript activado para poder visualizar
 

Este endereço de email está protegido de spam bots, você precisa de ter o Javascript activado para poder visualizar

Novidades do site
Leia a mensagem do Papa Francisco para a Quaresma deste ano.
 
 
Imprimir

Quaresma

22 de Abril Sexta-feira Santa



21 de Abril Quinta-feira Santa

 
 
 

17 de Abril Domingo de Ramos

«É em tua casa que eu quero celebrar a Páscoa com os meus discípulos»
A verdadeira redençãoNeste mundo, a redenção não existe como um passado consumado, não existe como um presente concluído e definitivo; a redenção só existe como esperança. Neste mundo, a luz de Deus só brilha nas luzes da esperança que a Sua bondade espalhou pelo nosso caminho.
Quantas vezes, isso nos aflige: nós queremos mais, nós queremos o presente total, completo, indisputável. Mas, no fundo, somos forçados a concordar: poderia existir uma forma mais humana de redenção do que aquela que nos diz, a nós, seres do tornar-se e do estar a caminho, que podemos ter esperança? Poderia existir melhor luz para nós, seres em peregrinação, do que aquela que nos torna livres para seguirmos em frente sem medo, porque sabemos que no fim do caminho está a luz do amor eterno?
Porque, se depender de nós, da patética chama da nossa boa vontade e da pobreza das nossas acções, não somos capazes de conseguir a redenção. Elas não são suficientes, por mais capazes que sejamos. A redenção continua a ser-nos impossível. Mas, em toda a sua misericórdia, Deus fez com que o que era impossível se tornasse possível. Tudo o que temos de fazer é dizer sim, com toda a nossa humildade.

10 de Abril V Domingo da Quaresma

«Eu sou a ressurreição e a vida»
Quando, no quinto domingo, nos é proclamada a ressurreição de Lázaro, somos postos diante do último mistério da nossa existência: «Eu sou a ressurreição e a vida... Crês tu isto?» (Jo 11, 25-26). Para a comunidade cristã é o momento de depor com sinceridade, juntamente com Marta, toda a esperança em Jesus de Nazaré: «Sim, Senhor, creio que Tu és o Cristo, o Filho de Deus, que havia de vir ao mundo» (v. 27). A comunhão com Cristo nesta vida prepara-nos para superar o limite da morte, para viver sem fim n’Ele. A fé na ressurreição dos mortos e a esperança da vida eterna abrem o nosso olhar para o sentido derradeiro da nossa existência: Deus criou o homem para a ressurreição e para a vida, e esta verdade doa a dimensão autêntica e definitiva à história dos homens, à sua existência pessoal e ao seu viver social, à cultura, à política, à economia. Privado da luz da fé todo o universo acaba por se fechar num sepulcro sem futuro, sem esperança.

3 de Abril IV Domingo da Quaresma

«O homem prostrou-se diante de Jesus e exclamou: «Eu creio, Senhor
O domingo do cego de nascença apresenta Cristo como luz do mundo. O Evangelho interpela cada um de nós: «Tu crês no Filho do Homem?». «Creio, Senhor» (Jo 9, 35.38), afirma com alegria o cego de nascença, fazendo-se voz de todos os crentes. O milagre da cura é o sinal que Cristo, juntamente com a vista, quer abrir o nosso olhar interior, para que a nossa fé se torne cada vez mais profunda e possamos reconhecer n’Ele o nosso único Salvador. Ele ilumina todas as obscuridades da vida e leva o homem a viver como «filho da luz».
 

27 de Março III Domingo da Quaresma

«A água que Eu lhe der tornar-se-á nele uma nascente que jorra para a vida eterna»
O pedido de Jesus à Samaritana: «Dá-Me de beber» (Jo 4, 7), que é proposto na liturgia do terceiro domingo, exprime a paixão de Deus por todos os homens e quer suscitar no nosso coração o desejo do dom da «água a jorrar para a vida eterna» (v. 14): é o dom do espírito Santo, que faz dos cristãos «verdadeiros adoradores» capazes de rezar ao Pai «em espírito e verdade» (v. 23). Só esta água pode extinguir a nossa sede do bem, da verdade e da beleza! Só esta água, que nos foi doada pelo Filho, irriga os desertos da alma inquieta e insatisfeita, «enquanto não repousar em Deus», segundo as célebres palavras de Santo Agostinho.
 
 

20 de Março II Domingo da Quaresma

«Este é o meu Filho, Escutai-O!»
São as únicas palavras do Pai nos textos evangélicos. Isto quer dizer que ou têm alguma importância e/ou são as mais difíceis de pôr em prática.
Jesus é a Palavra feita carne, tudo n’Ele manifesta Deus e convida-nos a entrar em comunhão com Ele. No acontecimento da Transfiguração como que nos relacionamos com Cristo a três dimensões:
- “Em particular… num alto monte”. É indispensável o encontro a sós, cara a cara, coração a coração. Para isso é necessário que vá havendo momentos/espaços de distanciamento do ‘corre-corre’ habitual dos dias.
- “Transfigurou-Se”. É na pessoa de Jesus que nos devemos rever. N’Ele fomos criados, é Ele a medida certa da nossa vida. Que nunca percamos o horizonte de santidade que deve marcar todos os nossos passos.
- “Desceram do monte”. E ainda estamos no mundo. Cristo percorre todos os lugares, santificando-os com a sua presença. Viver para Ele ainda se traduz num compromisso com o mundo. Que a intimidade com o nosso Senhor e Senhor da história nos ensine a transformar o nosso tempo.
 
 

13 de Março I Domingo da Quaresma

«Adorarás o Senhor teu Deus e só a Ele prestarás culto»
O primeiro domingo do itinerário quaresmal evidencia a nossa condição do homens nesta terra. O combate vitorioso contra as tentações, que dá início à missão de Jesus, é um convite a tomar consciência da própria fragilidade para acolher a Graça que liberta do pecado e infunde nova força em Cristo, caminho, verdade e vida. É uma clara chamada a recordar como a fé cristã implica, a exemplo de Jesus e em união com Ele, uma luta «contra os dominadores deste mundo tenebroso» (Hb 6, 12), no qual o diabo é activo e não se cansa, nem sequer hoje, de tentar o homem que deseja aproximar-se do Senhor: Cristo disso sai vitorioso, para abrir também o nosso coração à esperança e guiar-nos na vitória às seduções do mal.
 

 

9 de Março Quarta-feira de Cinzas

«Pecámos Senhor, tende compaixão de nós»
Hoje, marcados pelo austero símbolo das Cinzas, entramos no Tempo da Quaresma, iniciando um itinerário espiritual que nos prepara para celebrar dignamente os mistérios pascais. As cinzas benzidas, impostas sobre a nossa cabeça, são um sinal que nos recorda a nossa condição de criaturas, que nos convida à penitência e a intensificar o compromisso de conversão para seguir cada vez mais o Senhor.
 
 
 

 

 

Cantinho de Maria
 
 

Avisos

29 de Junho
Adoração do Santíssimo. Igreja da Ressureição, das 15.00h às 18.00h.
 
7 de Julho
Devoção das primeiras Sextas-feiras ao Sagrado Coração de Jesus. Exposição do Santíssimo a partir das 18.00h com benção solene antes da missa das 19.15h.
 
20 de Julho
Noite de Oração das Equipas de Jovens de Nossa Senhora, com exposição do SS. Igreja Paroquial, às 21.30h.
 
4 de Agosto
Devoção das primeiras Sextas-feiras ao Sagrado Coração de Jesus. Exposição do Santíssimo a partir das 18.00h com benção solene antes da missa das 19.15h.
 

Mais Avisos...


 
actualizado a 12/05/2017
 
actualizado a 23/02/2017